Category: Financiamento

FINANCIAMENTO AO DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS DE AQUICULTURA

Foi recentemente aberto um novo concurso para a linha de financiamento do MAR2020 para apoio à Aquicultura Biológica, à Conversão para Sistemas de Ecogestão e Auditoria e à Prestação de Serviços Ambientais pela Aquicultura.

 

Esta nova linha de financiamento, com uma dotação orçamental de 2 milhões de euros, pretende apoiar projectos de empresas de aquicultura no seguintes dominios:

  • Conversão dos métodos de produção aquícola convencionais para a aquicultura biológica;
  • Participação nos sistemas de ecogestão e auditoria da União (EMAS)
  • Implementação de métodos aquícolas compatíveis com necessidades ambientais específicas e sujeitos a requisitos de gestão específicos resultantes da designação de zonas NATURA 2000;
  • Participação na conservação e reprodução ex situ de animais aquáticos, no âmbito de programas de conservação e restauração da biodiversidade elaborados pelas autoridades públicas, ou sob a sua supervisão;
  • Operações aquícolas que incluam a conservação e a melhoria do ambiente e da biodiversidade, assim como a gestão da paisagem e das características tradicionais das zonas aquícolas.

 

O apoio a conceder revestem-se da forma de subvenção não reembolsável, dependem da produção aquícola dos anos anteriores, e correspondem ao valor apurado nos termos previstos na Portaria 117-2016, em anexo.

Portaria-117-2016

 

Bons negócios!

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO NO MAR2020

O MAR 2020 tem por objetivo implementar em Portugal as medidas de apoio enquadradas no Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) sendo as suas Prioridades Estratégicas:

  • Promover a competitividade com base na inovação e no conhecimento.
  • Assegurar a sustentabilidade económica social e ambiental do sector da pesca e da aquicultura, contribuir para o bom estado ambiental do meio marinho e promover a Política Marítima Integrada.
  • Contribuir para o desenvolvimento das zonas costeiras, aumentar o emprego e a coesão territorial bem como aumentar a capacidade e qualificação dos profissionais do sector.

O programa tem uma dotação global de 507 milhões de euros a serem aplicados na economia nacional ate 31 de Dezembro de 2020.

Abriram recentemente vários concursos para financiamento a projectos de empreendedorismo, inovação e internacionalização de empresas de transformação de pescado e de aquacultura.

Os apoios têm a natureza de subsídio não reembolsável (fundo perdido) podem chegar a 50% do investimento elegível.

Para mais informações pode consultar a pagina do Programa Mar2020 ou contactar-nos para directamente.

Bons negócios

OPORTUNIDADE DE FINANCIAMENTO: FUNDO AZUL

O Fundo Azul tem por finalidade o Desenvolvimento da Economia do Mar, a investigação científica e tecnológica, a proteção e monitorização do meio marinho e a segurança marítima, através da criação ou do reforço de mecanismos de financiamento de entidades, atividades ou projetos que cumpram os diversos objetivos.

Lançados com uma dotação orçamental de 10 milhões de euros, o Fundo Azul tem 2 concursos abertos para apoio a novos projeto de empreendedorismo na economia do mar e apoio a energias renováveis oceânicas.

  • Na linha de financiamento ao empreendedorismo na economia do mar podem ser apoiados projetos de Biotecnologia Azul, Energias Renováveis Oceânicas Digitais (Indústria 4.0), Portos 4.0 (novas soluções focadas na aplicação da Indústria 4.0 na rede portuária nacional), Robótica oceânica e Sustentabilidade.

Podem beneficiar dos apoios as entidades privadas com ou sem fins lucrativos e as Instituições do ensino superior, institutos e unidades de I&D.

Os apoios atribuídos ao abrigo do presente aviso são reembolsados, com uma taxa de juro de 0%, no prazo máximo de 8 anos. Os apoios atribuídos poderão assumir ainda a forma de instrumentos convertíveis de capital, designadamente com a entrada direta no capital das empresas até um limite máximo de 10%.

O apoio máximo atribuível por operação para as prioridades estratégicas 1 a 5 é de 500.000 €, até 90% das despesas elegíveis.

As candidaturas devem ser apresentadas entre os dias 13 de setembro e 13 de novembro de 2017.

  • Na linha de financiamento a energias renováveis oceânicas, podem ser apresentados projetos de exploração de novas linhas de investigação científica e tecnológica aplicadas às prioridades das políticas públicas para o mar, desenvolvimento tecnológico para a economia do mar, transferência de conhecimento na área das políticas públicas e economia do mar, investigação aplicada, em parceria com a indústria.

Podem beneficiar de apoios pelo Fundo, as instituições do ensino superior, seus institutos e unidades de I&D, as instituições privadas sem fins lucrativos, os laboratórios do Estado ou internacionais e as instituições privadas com fins lucrativos.

Os apoios financeiros a conceder pelo Fundo ao abrigo do presente anúncio têm carácter não reembolsável e o apoio máximo atribuível por operação é de 200.000 €, até 90% das despesas elegíveis.

As candidaturas devem ser apresentadas entre os dias 13 de setembro e 13 de novembro de 2017.

Para mais informações pode consultar a pagina da Direção Geral de Políticas do Mar ou contactar-nos diretamente.

Bons negócios

Fundo de Co-Investimento para Start-ups

Foi recentemente aprovado em Conselho de Ministros o Fundo de Coinvestimento 200M, destinando-se a apoiar pequenas empresas, incluindo as startups, na fase de arranque e crescimento, através da criação de um regime de coinvestimento com os privados de forma a atrair investidores estrangeiros qualificados que apoiem as empresas numa etapa de crescimento.

O programa “200M – Co-invest with the best” conta com 200 milhões de financiamento público português e incentiva os privados, nacionais ou estrangeiros, a investirem na mesma proporção, potenciando um total de investimento de 400 milhões de euros e a iniciativa tem dois objetivos: segurar empreendedores portugueses em Portugal, ao mesmo tempo que atrai investidores internacionais com experiência para ajudar com o desenvolvimento dos negócios.

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, afirmou que o fundo foi preparado na sequência da Web Summit de Lisboa em 2016 e tem o objetivo de «apoiar pequenas empresas, startups e empresas tecnológicas na fase de aceleração e de crescimento».

A prioridade vai ser dada a investimentos em startups de Ciências da Vida, Biotecnologia, Tecnologias de Informação, Digital, Turismo e indústria 4.0 (nanotecnologia, Internet das Coisas ou robótica). Para beneficiar do investimento, a empresa tem de ter a sede em Portugal, mas pode ser criada por estrangeiros. O Estado está disposto a co-financiar investimentos de entre um mínimo de 500 mil euros e um máximo de 3,75 milhões.

Espera-se que a primeira operação de co-investimento com o fundo 200M seja terminada antes de novembro, antes da próxima Web Summit.

OPORTUNIDADE: Financiamento a pequenos projectos de Indústria 4.0

Estão abertos os concursos para a tipologia de Vales Indústria 4.0 no âmbito do Sistema de Incentivos à Qualificação das PME.

O Vale Indústria 4.0 é uma tipologia de projeto simplificado e o actual concurso estará aberto até ao próximo dia 29 de setembro. A dotação orçamental deste 1º aviso é de 4.2M€.

É uma excelente oportunidade para as PME’s acelerarem a digitalização do seu negócio, pelo que tem como objetivo a aquisição de serviços de consultoria a entidades acreditadas, com vista à identificação de uma estratégia conducente à adoção de tecnologias e processos associados à indústria 4.0.

O projeto pode ser dinamizado tendo em conta duas tipologias de intervenção:

  • Implementação de processos associados ao comércio eletrónico (Desenho e implementação de Estratégias de Marketing Digital, Search Engine Optimization (SEO) e Search Engine Advertising (SEA), Social Media Marketing, Marketing de Conteúdos, Publicidade Display, Mobile Marketing, E-Commerce, CRM – Client Relationship Management e Web Analytics);
  • Implementação de processos associados à Indústria 4.0 (Sistemas de interconetividade (sensores), Big data, Realidade aumentada, Fabricação auditiva, Sistemas de Cloud, Inteligência artificial, Sistemas ciber-físicos, Robótica, Cibersegurança, Machine-to-Machine (M2M) e Human-to-Machine interfaces, Ferramentas para Manufacturing as a Service (MaaS) e Apps for manufacturing e E-Sistemas para Produção Inteligente e Flexível).

O Vale Indústria 4.0 é direcionado para investimentos até 10.000€, pelo que o incentivo máximo por projeto será de 7.500€ (taxa de financiamento a fundo perdido de 75%).

Para saber mais, contacte-nos ou aceda a toda a informação em http://bit.ly/2hKDWf9

Bons negócios!

OPORTUNIDADE: Call +Património +Turismo. Projectos de Dinamização Turística

Estão abertas a linha de financiamento a projectos de dinamização turística que contribuam para o desenvolvimento de atividades turísticas associadas à valorização do património cultural e natural do País.

Esta linha de financiamento sob a forma de capital de risco, é gerida pela Portugal Ventures e pode apoiar projectos inovadores e que visem a requalificação e fruição turística do património cultural e natural do País, incluindo a ampliação de empreendimentos turísticos existentes tendo em vista posicioná-los em segmentos de maior valor acrescentado.

O investimento por parte da Portugal Ventures tem um tecto indicativo de 700 000 euros por projecto, sob a forma de uma participação minoritária no capital da sociedade, por tranches e com base num plano de negócios.

Para mais informações consulte-nos ou consulte a página http://www.portugalventures.pt/pt-pt/page/dinamizacao-turistica

Bons negócios!

OPORTUNIDADE DE FINANCIAMENTO: Linha de Apoio à Qualificação da Oferta

As empresas de turismo ainda podem aceder á Linha de Apoio à Qualificação da Oferta, até 31 de Dezembro de 2017.

 

As operações de financiamento podem estender-se por 15 anos com o máximo de 4 anos de carência de amortização de capital.

 

O montante máximo do financiamento concedido poderá chegar aos 75% do valor do investimento elegível, com o limite de:

  • 2,5 milhões de euros de despesa elegível, por projecto inovador ou de requalificação;
  • 3,5 milhões de euros de despesa elegível, por projecto de cooperação ou agregação de operadores;
  • 500 000 euros de despesa elegível, por projecto de empreendedorismo ou novos negócios turisticos (empresas novas ou com menos de 2 anos)

As candidaturas podem ser instruídas junto dos bancos aderentes, mediante a apresentação de um projecto fundamentado e que demonstre viabilidade técnica, económica e financeira.

 

Quer saber mais? Consulte o link abaixo ou contacte-nos!

Ficha resumo da Linha de Apoio à Qualificação da Oferta no site do Turismo de Portugal.

 

Bons negócios!

 

OPORTUNIDADE DE FINANCIAMENTO: Linhas Capitalizar já estão disponíveis

Lançada pelo Ministério da Economia a 16 de janeiro de 2017, a Linha Capitalizar tem uma dotação de 1.600 milhões de euros e já podem ser apresentadas candidaturas pelas PME nacionais!

As candidaturas podem ser feitas aos balcões dos bancos aderentes desde 1 de fevereiro de 2017 mediante a apresentação de um projecto viável.

 

A nova linha permite montantes de financiamento por empresa entre 25 mil e 2 milhões de euros e com prazos entre 3 a 10 anos

 

A linha capitalizar destina-se a:

  • Apoiar investimentos de longo prazo
  • Criar condições mais vantajosas de financiamento para Micro e Pequenas Empresas
  • Alavancar a oferta de soluções de financiamento para investimentos em projetos com fundos comunitários
  • Ampliar a oferta de operações de Fundo de Maneio
  • Alargar o acesso a plafonds de crédito a todas as empresas.

Existem 5 sub-linhas com diferentes finalidades:

  • Linha “Micro e Pequenas Empresas”
    Dotação: 400 milhões de euros
    Objetivo: potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais para Micro e Pequenas Empresas.
  • Linha “Fundo de Maneio”
    Dotação: 700 milhões de euros
    Objetivo: financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo.
  • Linha “Plafond de Tesouraria”
    Dotação: 100 milhões de euros
    Objetivo: alargar a oferta de crédito em sistema de revolving, conferindo uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria.
  • Linha “Investimento Geral”
    Dotação: 100 milhões de euros.
    Objetivo: financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação.
  • Linha “Investimento Projetos 2020”
    Dotação: 300 milhões de euros.
    Objetivo: alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016-2020 possa vir a revelar-se insuficiente

 

Já preparou o seu projecto?

Quer saber mais? Siga o link abaixo ou contacte-nos!

 

E bons negócios!

 

 

 

OPORTUNIDADE DE FINANCIAMENTO: Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior

Encontram-se abertas as candidaturas à Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior. Os apoios financeiros ascendem a 90% das despesas elegíveis. As candidaturas podem ser realizadas até 31 de Dezembro de 2017.

 

Esta linha faz parte do Programa Valorizar e visa promover a contínua qualificação dos destinos através da regeneração, requalificação e reabilitação dos espaços públicos com interesse para o turismo e da valorização do património cultural e natural do país.

 

Podem candidatar-se entidades públicas ou privadas:

  • As empresas privadas podem ser apoiadas até ao limite máximo de € 150.000,00 e os apoios têm uma natureza reembolsável. No entanto, 50 % do financiamento pode ser convertido em não reembolsável se os promotores atingirem, pelo menos, 90 % do volume de negócios e do VAB previsto na candidatura e se criarem os postos de trabalho previstos na candidatura. 
  • As entidades públicas e sem fins lucrativos podem ser apoiadas até € 400.000,00 e os apoios financeiros revestem natureza não reembolsável 

 

Podem ser apoiados as seguintes tipologias de projectos:

a) Projetos de valorização ou incremento da oferta de Cycling & Walking, nomeadamente no contexto dos percursos cicláveis, pedonais e de fruição espiritual, que concorram para o posicionamento internacional de Portugal como destino competitivo para a prática destas atividades;

b) Projetos de valorização do património e dos recursos endógenos das regiões ou de desenvolvimento de novos serviços turísticos com base nesse património e nesses produtos, nomeadamente no contexto do turismo cultural, termal, equestre, gastronómico, de natureza, militar e ferroviário, que contribuam para o reforço da atratividade de destinos de interior ou para a dinamização de cross-selling regional;

c) Projetos de desenvolvimento de atividades económicas do turismo ou com relevância para o setor, assim como de valorização e de qualificação das aldeias portuguesas, tendo em vista a melhoria da sua atratividade e da experiência turística nestes espaços;

d) Projetos que tenham em vista a estruturação de programas de visitação turística em destinos de interior;

e) Desenvolvimento de calendários de eventos com potencial turístico e com impacto internacional realizados nos territórios do interior ou com impacto nesses territórios.

 

Já preparou o seu projecto?

Precisa de mais informação?

Siga o link abaixo ou contacte-nos!

http://www.turismodeportugal.pt/Portugu%C3%AAs/turismodeportugal/newsletter/2016/Pages/NovasLinhasdeApoio.aspx

 

Bons negócios!

 

 

 

UPDATE: INVESTIMENTOS AGRO-INDUSTRIAIS

pdr2020_logoJÁ ABRIRAM OS CONCURSOS DO PDR2020 PARA O FINANCIAMENTO DE PROJECTOS DE AGRO-INDUSTRIA.

CANDIDATURAS ATÉ 20 DE MARÇO DE 2017.

 

Estão abertos concursos para o financiamento a projectos de investimento agro-industrial do PDR2020, o principal programa nacional de fomento da inovação e expansão do sector em Portugal.

 

  • São elegíveis para financiamento as empresas de conservação, preparação e comercialização ou transformação de produtos agrícolas, com uma situação económica e financeira estável e um projecto economicamente viável.
  • Os projectos devem ter como objectivo a transformação de produtos agrícolas e/ou a sua comercialização e devem apresentar coerência técnica, económica e financeira.
  • Os apoios do PDR2020 podem chegar a 4 milhões de euros por projecto, sob a forma de apoios reembolsáveis e não reembolsáveis – sendo o tecto máximo do apoio a “fundo perdido” de 1 milhão de euros. Acima deste montante, todo o apoio a conceder será sob forma reembolsável.
  • Os apoios podem representar de 20% a 45% do total da despesa de investimento.

 

Na INOVAe podemos apoiar o desenvolvimento de um projecto sólido, viável e consistente com a sua estratégia de crescimento.

Podemos apoiar o desenho de soluções inovadoras ao nível da produção, logística e distribuição dos produtos da sua empresa, assim como a definição e planeamento da abordagem a novas segmentos de mercado, nacionais e internacionais.

Se pretende conhecer mais informação sobre os apoios existentes contacte-nos ou visite o site do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020.

 

Bom trabalho e bons negócios.

dinis.martins@inovae.pt

 

 

 

Tem questões?